Ser mulher é quase que por definição ser corajosa. Não por acaso, em um campo profissional que exige coragem como premissa, as mulher...

💜
2017

Exposição reune o corajoso e impactante trabalho de mulheres como fotojornalistas de guerra

/
0 Comments
https://scontent.fgig1-2.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/14485124_1778919039051183_7230739237436656718_n.jpg?oh=a0c2c5fc858608591a230767f7b32976&oe=587A245B

Ser mulher é quase que por definição ser corajosa. Não por acaso, em um campo profissional que exige coragem como premissa, as mulheres tem se destacado cada vez mais: o fotojornalismo de guerra. Por isso, uma exposição em Turim, na Itália, contempla justamente imagens registradas por mulheres em campos de batalha ou em países atravessando as mazelas de conflitos e guerras civis sem fim.

São fotografas do mundo todo, que passaram por ameaças, tiros, bombas, fugas, roubos, acusações de espionagem, assédio sexual, ameaças de sequestro e lutas reais pela própria vida para registrarem e mostrarem para o mundo o horror das batalhas ainda hoje – e ainda com apuro estético, beleza nas imagens e o importante sentido de denúncia. Todas as fotos abaixo pertencem à exposição, e foram registradas pela força e a coragem femininas. A exposição é dedicada à memória de Camile Lepage, uma fotógrafa francesa morta durante um conflito na República Centro-Africana, em 2014.

A fotógrafa Andreja Restek, à esquerda, fugindo de tiros em Aleppo, na Síria 

A fotógrafa Andreja Restek, à esquerda, fugindo de tiros em Aleppo, na Síria

© 

© Diana Zeyneb Alhindawi

© Laurece Geai 

© Laurece Geai

© Andreja Restek 

 ©Andreja Restek

© Capucine Granier Deferre  

© Capucine Granier Deferre

© Virginie Nguyen Hoang 

© Virginie NguyenHoang

© Alison Baskerville 

© Alison Baskerville

© Andreja Restek  

© Andreja Restek

© Annabelle Van den Berghe 

© Annabelle Van den Berghe

© Camille Lepage 

© Camille Lepage

© Monique Jacques 

© Monique Jacques

© Shelly Kittleson 

© Shelly Kittleson

© Matilde Gattoni 

© Matilde Gattoni

© Maysun 

© Maysun

A própria Maysun, que não usa seu sobrenome profissionalmente, trabalhando em campo 

A própria Maysun, que não usa seu sobrenome profissionalmente, trabalhando em campo

© Alison Baskerville 

© Alison Baskerville

Andreja Restek trabalhando na Síria 

 Andreja Restek trabalhando na Síria

Camille Lepage morta em trabalho, a quem a exposição é dedicada 

 Camille Lepage, morta em campo, a quem a exposição é dedicada


Nenhum comentário: