slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img
slider img

Um dos menores países do mundo, capaz de caber 19 vezes dentro do estado da Califórnia, em que 60% de seu território é composto po...

Fotógrafo comprova que pequeno país une as belezas da Bolívia e de uma capital europeia

💜
2019

Um dos menores países do mundo, capaz de caber 19 vezes dentro do estado da Califórnia, em que 60% de seu território é composto por desertos, Israel é também um dos mais importantes – e belos – locais do planeta. Estão lá, é claro, alguns dos mais icônicos pontos turísticos e religiosos do mundo e, mesmo tendo somente 70 anos como um estado independente, sua história remonta há mais de 3000 anos. Foi para sublinhar as belezas e as virtudes da única democracia liberal em meio a uma das mais turbulentas regiões do mundo que o fotógrafo Noam Chen decidiu registrar as paisagens de seu país.
Sua premissa é apontar para as belezas naturais e arquitetônicas de uma Israel um tanto desconhecida para o grande público, acostumado a pensar no país como um local de disputas e guerras, e nada mais. “Olhando somente para essas fotos, provavelmente ninguém adivinharia onde são”, ele escreveu. Para além da influência política, Noam quis fotografar as belezas de seu país de nascimento que, segundo ele, “rivalizam com qualquer outro país do mundo”. O fotógrafo registra as paisagens e construções de Israel desde os 10 anos de idade.
Trata-se de um local que reúne campos de flores que mais parecem na Holanda, ruas e cidades que lembram a beleza de algumas capitais europeias, florestas como que tropicais, neve e mares como no mediterrâneo, cavernas, ruínas, castelos e até mesmo metrópoles modernas e urbanas – além, é claro, da beleza estonteante dos desertos. Esquecendo um pouco o caos político da região, Israel de fato traz um pouco da beleza do mundo todo.
© fotos: Noam Chen/fonte:via

A vida fora do planeta Terra sempre despertou curiosidade, porém agora o questionamento é outro. Se antes, nos perguntávamos sobre...

Projeto entre artistas e arquitetos imagina como seria a vida na lua

💜
2019
A vida fora do planeta Terra sempre despertou curiosidade, porém agora o questionamento é outro. Se antes, nos perguntávamos sobre a possível vida extraterrestre, agora o homem tem planos reais de visitar e, quem sabe, morar em outro planeta. Depois de Elon Musk – CEO da Tesla Motors, anunciar o primeiro voo comercial da SpaceX, muitas empresas e pessoas começaram a ‘desenhar’ a vida no espaço e, isso tem tomado proporções inimagináveis.
O projeto de turismo lunar financiado pelo bilionário japonês, Yusaku Maezawa, chamado de Dear Moon, imagina e tem real interesse em levar a vida humana para habitar na lua. E, em resposta a isso, o jornal norte americano, New York Times, conversou com importantes nomes da arquitetura e da arte, para juntos tentarem imaginar e planificar a vida na lua. As respostas são surpreendentes. Vem ver!
Daniel Libeskind – arquiteto – Nova York
Minha proposta é transformar a própria Lua em um projeto de arte: é uma esfera e quero transformá-la em um quadrado perfeito. Esse é o sonho […] Pensamos que o melhor seria pintar seções de preto, para que não refletissem mais a luz do sol. Para dar conta da curvatura, você precisa pintar quatro tampas esféricas na superfície da lua […] Eu gosto da maneira como podemos transformar a lua em uma obra de arte contemporânea.”
Ai Weiwei – artista – Berlim
A intensidade da falta de vida na Lua, a impossibilidade das espécies existentes ali, é um espelho. Isso nos faz apreciar ainda mais o precioso milagre da vida neste planeta. Então, o que eu posso colocar na lua é uma observação: minha insignificância em relação ao universo, e usar isso como um ponto de vista do planeta Terra.”
Kara Walker – artista – Nova York
Eu comecei a pensar em uma colônia lunar, sobre a qual muita gente falou seriamente ao longo dos anos. Então, o que eu faço é isto: para cada criança nascida na Terra, um macho sexista, supremacista branco, seria enviado para a lua. Eles poderiam colonizá-lo para o conteúdo de seu coração e olhar para baixo a uma distância de um quarto de milhão de milhas. É um mundo monocromático lá em cima; Provavelmente eles adorariam.”
Eu participei das comemorações do centenário de John F. Kennedy no Kennedy Center no ano passado, e pensei muito sobre seus escritos sobre o programa espacial. Ele disse as coisas mais bonitas: “Estou ansioso para uma América que não tenha medo da graça e da beleza”. Eu mantenho isso em meu coração. É tão antiético o que está acontecendo agora“.
Minha ideia seria pegar os outros sete artistas e convencê-los a não decolar para a lua, mas criar um habitat espacial aqui mesmo na Terra. Há tantos lugares que atualmente não são habitáveis: zonas de conflito, áreas que sofrem com grande pobreza e devastação ambiental […] Nós criamos um ambiente rico em oxigênio, temos plantas crescendo, e os outros artistas e eu poderíamos trabalhar e crio. Trata-se de reciclar civilizações disfuncionais como habitats habitáveis.”
Eric Fischl – pintor e escultor – Nova York
A única maneira de entender o absurdo de ter pensado que eu queria estar lá em primeiro lugar é recorrer ao humor. Acho que meu primeiro ato criativo depois de pousar na lua seria abrir o zíper de meu traje espacial e fazer xixi em um espaço sem gravidade, em um esforço fútil para marcar meu território.”
Thomas Ruff – fotógrafo – Düsseldorf
“Para mim, a coisa mais interessante sobre a lua é o lado negro: o lado que nunca vemos da Terra. Os primeiros astronautas ficaram nervosos quando passaram pela lua, porque você perde o contato de rádio até que reapareça do outro lado. Então, eu gostaria de fotografar isso e continuar fotografando quando chegamos e quando a Terra ressurgiu.
Tacita Dean – artista e cineasta – Los Angeles
Eu coleciono pedras, então se eu chegasse na lua em vez de apenas orbitar, a superfície imediatamente me excitaria: a própria rocha da lua; todos esses meteoritos, bilhões de anos. Eu gostaria de fazer um filme sobre a experiência simplesmente de estar na lua, concentrando-se nos detalhes, exatamente como era. Eu não tentaria pré-imaginar a experiência; Eu apenas observaria. Absorva o máximo que puder.”
Foto 2: Ai Weiwei
Foto 3: Kara Walker
Foto 4: Laurie Anderson
Foto 5: Hito Steyerl
Foto 6: Thomas Ruff
Foto 7: Tacita Dean /fonte:via

O impacto do homem na natureza é coisa séria e precisa ser tratado abertamente. Estamos contribuindo para destruir os oceanos, aum...

As impactantes fotografias vencedoras do concurso Environmental Photographer 2018

💜
2019
O impacto do homem na natureza é coisa séria e precisa ser tratado abertamente. Estamos contribuindo para destruir os oceanos, aumentar o aquecimento global e exterminar diversas espécies. Porém, falar nem sempre é a melhor solução, já que uma imagem vale mais do que mil palavras. É por isso que, nos últimos anos, diversos concursos fotográficos vêm sendo organizados, com o objetivo de nos alertar sobre isso e, quem sabe, reverter a situação.
O concurso Environmental Photographer of Year existe desde 2007 e, é uma das premiações mais importantes de fotografia ambiental, organizado pela Chartered Institution of Water and Environmental Management (CIWEM), do Reino Unido.
Neste ano, fotógrafos de 89 países participaram do concurso e, o resultado é chocante e assustador. Conscientizando as pessoas de que precisamos mudar, as fotografias mostram desde uma criança sentada em uma terra completamente seca e morta, até escombros de um terremoto que matou mais de 600 pessoas, no Irã.
Foto 1: Saeed Mohammadzadeh
Foto 2: Chinmoy Biswas
Foto 3: Younes Khani Someeh Soflaei
Foto 4: Fardin Oyan
Foto 5: Ümmü Kandilcioğlu
Foto 6: Antonio Aragón Renuncio
Foto 7: Tapan Karmakar
Foto 8: Calvin Ke
Foto 9: Thigh Wanna
Foto 10: Jing Li /fonte:via

Nós estamos acostumados com as princesas clássicas da Disney sendo lindas mulheres perfeitas, vivendo em castelos, andando em carr...

Artista imagina as princesas da Disney em capas de filmes de mistério da década de 1940

💜
2019
Nós estamos acostumados com as princesas clássicas da Disney sendo lindas mulheres perfeitas, vivendo em castelos, andando em carruagens ou cavalos e, rodeadas de súditos. Vários artistas já trouxeram essas personagens para os dias de hoje, tentando imaginar como elas seriam se vivessem em 2018 ou, até mesmo se tivessem algum tipo de distúrbio ou deficiência. Porém, você já parou pra pensar se elas fossem personagens principais de filmes de suspense?
Foi isso que o ilustrador, Astor Alexander, baseado em São Diego – Califórnia fez ao imaginar como seriam as princesas vivendo em filmes da década de 1940, na série “Noir Princesses“. Dessa vez, as princesas não são nada certinhas e utilizam sua beleza e sensualidade para lidar com dinheiro, crime e política. Mais uma maneira criativa de falar sobre o ideal de perfeição, que tanto ronda as mulheres, sobretudo as princesas da Disney.
Fotos: Astor Alexander /fonte:via

A natureza é perfeita e capaz de nos oferecer verdadeiros espetáculos, mas talvez o fenômeno que mais nos encanta, seja a aurora ...

Sorte é poder ver a aurora boreal em um iglu de vidro na Finlândia

💜
2019
A natureza é perfeita e capaz de nos oferecer verdadeiros espetáculos, mas talvez o fenômeno que mais nos encanta, seja a aurora boreal. Pela raridade, beleza ou dificuldade em observar o céu ficar verde, observar a aurora boreal é sonho de 9 entre 10 mortais. O fenômeno só acontece na Escandinávia, Alasca, Canadá, Groenlândia e Rússia ,e a novidade é que, se antes somente os corajosos podiam ter esse gostinho, agora já existem diversas hospedagens confortáveis para quem quer ter uma noite inesquecível.
Na Lapônia finlandesa, um dos locais onde a probabilidade de observar o fenômeno é grande – talvez a maior, é possível entrar em contato com a aurora boreal, do conforto da sua cama. Este fantástico hotel, onde os quartos são confortáveis iglus com tetos de vidro, fica nas margens do Lago Ranuanjärvi, em um cenário que mais parece filme de fantasia.
As cabines do Arctic Fox Igloos possuem quarto, cozinha completa, banheiro privativo e sauna, mas o ponto forte é sua localização e chance de ver a aurora boreal, deitado na cama ou tomando um vinho, sem precisar se aventurar no frio alucinante do lado de fora. Para ter uma experiência completa, o hotel também oferece passeios de trenó e safáris na neve. Ficou com vontade? Nós também!
Fotos: Arctic Fox Igloos /fonte:via

A arte urbana é uma das formas de expressão mais incríveis que existem, pois além de tudo é democrática. Ninguém precisa pagar ent...

Artista espalha provocativas esculturas urbanas feitas com manequins

💜
2019
A arte urbana é uma das formas de expressão mais incríveis que existem, pois além de tudo é democrática. Ninguém precisa pagar entrada para ver um grande mural de grafite, uma poesia no muro ou, qualquer outra forma de arte que esteja nas ruas de uma cidade. Neste contexto, o artista norte americano, Mark Jenkins é especialista em espalhar sua arte pelas cidades do mundo inteiro.
Com diversas instalações, em cidades como Rio de Janeiro, Barcelona, Londres e Washington, ele utiliza manequins e os posiciona em lugares estratégicos, como telhados, latas de lixo ou até mesmo sentados em algum lugar público. Uma arte completamente inesperada, que faz qualquer cidade ficar mais interessante.
Muitas vezes, ele utiliza materiais encontrados no lixo, como o plástico. Coincidentemente (ou não!) tudo começou em uma viagem ao Rio de Janeiro, quando usou os lixões da cidade maravilhosa como fonte de pesquisa e, sobretudo de material.
Sua última série, em que mistura manequins humanizados com instalações de plástico, recebeu o nome de “Glazed Paradise”. Eu não sei você, mas eu gostaria muito de cruzar com uma destas instalações de Mark em meu caminho!
Fotos: Mark Jenkins /fonte:via