Engana-se quem pensa que os vestidos de noiva sempre foram brancos. Os vestidos de casamento na nobreza da idade média, por exempl...

💜
2017

A cerimônia sexy e ousada da australiana que se casou vestida de preto

/
0 Comments


Engana-se quem pensa que os vestidos de noiva sempre foram brancos. Os vestidos de casamento na nobreza da idade média, por exemplo, simbolizavam a riqueza de uma família.

Cores fortes, joias e tecidos caros eram fundamentais na vestimenta da noiva. Era comum, portanto, que os vestidos fossem da cor da preferência da noiva – e o preto era uma das tonalidades mais populares.

SOPHIE5

Não foi por oposição a ideia de pureza e virgindade que a cor branca oferece, no entanto, que a blogueira australiana Sophie Cachia decidiu se casar usando um vestido preto – seu filho de 1 ano e meio já era símbolo suficiente de que a virgindade não era tópico em questão.

Na realidade, ela simplesmente escolheu a cor de que mais gosta, com a qual se sentiria melhor em cerimônia tão importante.

SOPHIE7

Para ela, que nunca se imaginou entrando de branco em seu casamento, o preto é uma cor “clássica, que cai bem em qualquer pessoa. É corajoso, sexy e ousado”, ela disse.

Em entrevista ao site Bored Panda, Sophie garante que a sugestão veio inclusive do seu marido, Jaryd. “Não queríamos nada tradicional simplesmente porque não somos tradicionais. Se me importasse com o que os outros diriam, jamais teria tomado essa decisão. Eu simplesmente quis vestir o que eu de fato queria, e não o que diziam que deveria”, ela diz.

SOPHIE1

Eu não fiz isso por ninguém além de mim e Jaryd”, afirma Sophie. Diante da tediosa sugestão de pureza que os vestidos brancos impõem sobre as mulheres, a ideia de uma noiva simbolizando coragem, sensualidade e ousadia para seu casamento parece de fato bastante mais interessante e potencialmente duradoura. Coragem e sensualidade são atributos absolutamente mais importantes e bonitos do que pureza e virgindade.

Portanto, um brinde aos noivos.









SOPHIE9
© fotos: acervo


Nenhum comentário: