O baiano João Machado , que seguiu seus sonhos e seu instinto, dedicando-se à sua verdadeira paixão: a fotografia. Autodidata, invest...

💜
2017

11 dicas para você tirar mais partido da sua câmera e fazer cliques perfeitos

/
0 Comments
 

O baiano João Machado, que seguiu seus sonhos e seu instinto, dedicando-se à sua verdadeira paixão: a fotografia. Autodidata, investiu no que gosta e encontrou a vocação perfeita que hoje o torna um fotógrafo de sucesso.

Com a fotografia em alta, você também pode desenvolver seu lado artístico e revelar seu olhar para o mundo. As dicas dadas pela Nikon, marca que acompanha o João desde o início, vão te ajudar a fazer cliques incríveis e provar que sim, você também pode chegar mais longe nessa arte.
Vem ver:

1. Flare

Em algumas situações, a luz e os raios do sol podem atrapalhar suas fotos, deixando manchas e alterando as cores. Flare é o nome do efeito causado pela iluminação em contato direto com a lente, podendo ser usado a seu favor, como fazem muitos fotógrafos.

FicaDica1
Foto © Zal NPS

2. Longa-exposição

Aquelas fotos em movimento que você não imagina como ficaram tão perfeitas são feitas com a técnica de longa exposição. Numa câmera Nikon utilize os modos M ou S. Confira o passo a passo:
– Priorize a baixa velocidade (ex: 1/10, 1/5, 1/2 e 1 seg para fotos diurnas) em sua câmera em modo “M” ou “S”
– O próximo passo é achar o equilíbrio entre ISO, abertura do diafragma e velocidade
– Para fotos noturnas, o ideal é usar velocidades como; 15, 20 ou 30 segundos em modo “M”, para obter o efeito ainda melhor
– Para melhorar a estabilidade, utilize um tripé.

FicaDica2
Foto © Zal NPS

3. Cores vivas

As cores de uma foto costumam ter um toque bem pessoal, sendo que algumas pessoas preferem deixá-las mais vivas, outras em tons mais escuros ou preto e branco. Para obter a cor ideal e de acordo com a sua criatividade, utilize o ajuste Picture Control no menu da câmera, definindo melhor o contraste e saturação, por exemplo. Qual destes é mais a sua cara?

Padrão: Proporciona um efeito mais equilibrado Neutro: Processamento mínimo para um efeito mais natural Vívido (Cores Vivas): As fotografias são melhoradas para obter um efeito vivo de impressão fotográfica Monocromático: As cores são convertidas para Preto & Branco Retrato: Retratos com cor de pele mais suave e natural Paisagem: Utilize para fotografias mais vivas de paisagens e vistas de cidades.

FicaDica3
Foto © Zal NPS

4. Enquadramento

Não tem nada pior do que ter uma foto toda torta ou com os elementos mal distribuídos. Dentro do enquadramento existem algumas normas, como a “regra de terços”. Se a sua câmera não tiver a grada de enquadramento no visor, basta imaginar 2 linhas verticais e 2 linhas horizontais na cena a ser fotografada, formando um jogo da velha. Os pontos precisos, que são os encontros entre as linhas, são chamados de “pontos de ouro”. O grande truque está em direcionar os objetos da sua foto a um destes pontos, criando um balanço visual interessante e nada óbvio.

FicaDica4e
Foto © Zal NPS

5. Fotometria

Você já deve ter visto alguma cena de ensaio em que posicionam um aparelhinho no rosto da modelo. É o fotômetro, usado para medir a intensidade da luz refletida numa superfície. Auxiliando no equilíbrio da imagem, que inclui abertura do diafragma, velocidade do obturador e o ISO, a fotometria é capaz de indicar se a luz é suficiente (0), insuficiente (-1, -2, -3), a foto terá subexposição (escura), ou se a quantidade de luz é maior que a necessária (+1, +2, +3) superexposição (foto clara). Você pode ainda priorizar o efeito desejado como profundidade de campo (diafragma), congelar ou borrar o assunto (obturador) ou luminosidade (ISO).
FicaDica5
Foto © Zal NPS

6. Auto-foco | AF-S

Outra coisa que pode estragar uma boa foto é a falta de foco. Se usado da maneira certa, pode até dar um toque bacana na imagem. As câmeras DSLR Nikon possuem ajustes corretos de precisão em vários modos. Se optar pelo modo Auto-Foco fica fácil encontrar qual é o ideal na cena desejada, seja ela de natureza, esportes, movimento ou cenários estáticos. Quer impressionar na foto? Então siga o modo AF-S, indicado para cenas estáticas. Mantenha o disparador pressionado até a metade no ponto focado e em seguida libere o obturador (click). É importante que você fique tão estático quanto a cena neste momento. Se a distância entre a câmera e o objeto de foco for alterada na hora que ele já foi captado, volte a focar na nova distância.

FicaDica6
Foto © Zal NPS

7. Composição

Uma foto fica bem mais legal se tem uma composição bacana e atrativa. Sempre que olhamos através do visor da câmera, estamos tomando decisões sobre como vamos enquadrar o assunto que vamos clicar. Como falamos sobre inovação, está na hora de dar umas dicas fáceis para que suas fotografias fiquem ainda melhores.
Para conferir quais são, acesse o link do Learn&Explore: http://bit.ly/1PndVXm.  Nessa foto abaixo, de Diane Berkenfeld, foram utilizados:
Câmera: D4
Lente: AF-S NIKKOR 200-400mm f/4G ED VR II
Velocidade do obturador: 1/640s
Abertura: f/4
ISO: 200
FicaDica7
Foto © Diane Berkenfeld

8. Balanço de branco automático

Outro item que vai facilitar a sua vida é o modo automático de balanço de branco, que corrige a coloração gerada por toda fonte de luz. Você pode notar isso olhando que as fotos ficam com tons mais quentes ou mais frios.

Para encontrar o equilíbrio, nas DSLR ‎Nikon‬, o Balanço de Branco Automático é combinado com o Sistema de Reconhecimento de Cena na hora de analisar cada fonte de luz. Assim, se divide em: fluorescente, com um matiz “verde”, ou mais frio que a luz do dia; incandescente, que é mais amarelado, ou seja, mais quente do que a luz do dia, fazendo com que os objetos brancos em uma cena pareçam brancos, independentemente da temperatura de cor (quente ou frio) da fonte de luz.
O balanço automático permite que as cores fiquem mais fiés as da cena, independente se a iluminação for mista.

Nikon-Balanco-de-cor
Foto: Reprodução

9. Profundidade de campo

Para aprimorar mais ainda o foco, tome nota sobre a profundidade de campo, relação entre aquilo que está e o que não está em foco, definida por três fatores importantes:
– Quanto maior a distância focal (24mm, 50mm, 200mm, etc.), MENOR será a profundidade de campo

– Quanto mais próximos estiver do assunto focado, MENOR sua profundidade de campo;
– Quanto mais aberto o diafragma (ex: f/1.4, f/2.8) MENOR sua profundidade de campo
Se quiser obter uma área maior de foco, a abertura deve estar sempre entre as menores, como f/11, f/16, f/22. As lentes com distância focal menores também ajudam.

FicaDica9
Foto © Zal NPS

10. Auto foco | AF-C

Além do Auto-Foco AF-S, você também pode aprender sobre o modo AF-C, para quando o objeto fotografado estiver em movimento. É bem difícil capturar aves voando com precisão, por exemplo, mas com essa dica, seus problemas acabaram. Seguindo a mesma linha de manter o disparador pressionado até a metade, acompanhe o assunto em movimento que o foco automático acaba o seguindo. Caso o objeto saia da cena do visor, basta recompor a fotografia e o ponto de foco até que se obtenha sucesso.

FicaDica10
Foto © Zal NPS

11. Botão AF-ON

Ainda dentro do foco você pode configurar o botão AF-ON, chamado também de botão traseiro. Ele é responsável por travar o foco configurado, o que é bem vantajoso e prático na hora de clicar assuntos em movimento. Assim, não há reajuste a todo momento, pois a câmera dispara sempre que o botão do obturador for pressionado. Curtiu, né? Aprimore ainda mais esta dica no guia Learn&Explore: http://bit.ly/1ZmHEua.

Mavericks. Half Moon Bay, CA
Foto © Jay Watson


Nenhum comentário: